domingo, 24 de junho de 2012

Donas Amélias

Por razões profissionais tenho-me deslocado com frequência à Ilha Terceira, nos Açores. E redescobri um Portugal que pensei já não existir. Principalmente pessoas maravilhosas, com saberes ancestrais que os guardam naturalmente, como as suas mães e avós fizeram e se orgulham de os poder ensinar. Mas isso é uma história para outra altura.

A comida em geral e os doces em particular, são uma perdição e fazem com que, mal regressada a casa, começo logo a fazer dieta, para recuperar.

Para o almoço de domingo resolvi fazer as célebres Donas Amélias, uma espécie de queijadinhas inventadas por senhoras terceirenses aquando de uma visita da Rainha D. Amélia à ilha em 1901.

Consultei várias receitas e acabei por me decidir por uma velha receita da Tele-Culinária que me pareceu a melhor e não me enganei. As porções são razoáveis e a confeção fácil. E não precisei de usar a colher de pau, como parece rezar a lenda.



Ingredientes:

4 ovos

250g de açúcar

2 colheres de sopa de manteiga derretida

1 colher de chá de canela

1 colher de café de nós moscada

1 pitada de sal

2 colheres de sopa de mel

100g de farinha de milho

2 colheres de sopa de corintos (não pus porque cá em casa não gostam)

Açúcar pilé para polvilhar


Preparação:

Untam-se formas de queques e liga-se o forno a 200º. Num recipiente juntam-se as gemas, o açúcar, a manteiga derretida, a canela, a noz-moscada, a pitada de sal e o mel e batem-se muito bem com a batedeira elétrica durante 2 a 3 minutos. Junta-se a farinha e bate-se bem. Por fim batem-se as claras em castelo e misturam-se muito bem ao preparado, batendo muito bem, novamente, até fazer bolhas.

Enchem-se as forminhas e leva-se ao forno alto durante 20 a 25 minutos, na parte mais acima do forno, para não queimar.

Polvilham-se com açúcar pilé e põem-se dentro de forminhas de papel.





2 comentários:

Mariana Vieira Duque disse...

Boa tarde,
Agradecíamos muito se pudessem divulgar na vossa página este evento de apoio à pequena e média produção nacional.
Nunca, como agora, foi tão importante e necessário “puxar” pelo que é nosso:
Um Mercado Gourmet e Português

Azeite – Patês – Queijos – Charcutaria – Vinhos e Licores – Chocolate – Compotas – Mel
Ervas aromáticas – Biológico – Conservas – Condimentos – Pão – Doçaria – Infusões

O Campo Pequeno vai recriar o espírito dos mercados antigos portugueses onde se podia encontrar um pouco de tudo, adaptando-o à temática Gourmet, entre os dias 8 e 10 de Março.
Vamos voltar a reunir no mesmo espaço, o que de melhor se faz em Portugal nesta área. Todos os produtos presentes, são de origem exclusivamente portuguesa ou manufacturados no nosso país.

Objectivos:
- Contribuir para a divulgação, estimulo e sustentabilidade de micro actividades produtivas nacionais, de elevadíssima qualidade, que pela sua reduzida dimensão dificilmente chegam ao conhecimento do grande público. Muitas destas actividades são construídas com admirável persistência, paixão e engenho, nas mais variadas vertentes, constituindo notáveis exemplos de inovação e criatividade nacionais.
- Sensibilizar o público para a aquisição de produtos portugueses, estimulando actividades da nossa micro economia, a preços justos e vantajosos.

Entrada Gratuita

Data: 8, 9 e 10 de Março (6.ª-feira a Domingo)
Horário: 11h00 às 21h00
Local: Arena do Campo Pequeno (espaço coberto)
Adira ao evento no Facebook:
http://www.facebook.com/events/497287550321649/

Manoel José de Santana disse...

Querido (a) amigo (a) estou dando uma passadinha no teu Blog. E gostei muito e voltarei sempre. U abraço: Manoel Limoeiro de Recife - PE.Brasil.Visite o Blog por favor: http://www.grupounidoderodafogo.blogspot.com.br/

Recife -PE. 06 de junho de 2015.